Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Covid-19: Centro de Badminton transformado em hospital de campanha


foto: DR quarta, 25 março 2020

O Centro de Alto de Rendimento de Badminton, nas Caldas da Rainha, está a partir de segunda-feira transformado num hospital de campanha com capacidade para 30 doentes, a que se juntará um outro no Pavilhão da Mata.
O equipamento apresentado “é dos melhores do País”, considerou a directora clínica do Centro Hospitalar do Oeste (CHO), Filomena Rodrigues, sublinhando que a partir de segunda-feira o CHO vê alargada a capacidade instalada do Hospital das Caldas da Rainha em mais 30 camas.
O hospital de campanha instalado no Cento de Alto de Rendimento (CAR) de Badminton é o primeiro de dois disponibilizados pela Câmara das Caldas da Rainha. A autarquia prepara para hoje a abertura de um segundo hospital no Pavilhão da Mata, com a mesma capacidade.
No primeiro caso, dada a distância do CAR ao Hospital das Caldas da Rainha, o equipamento, quando necessário, servirá para “alojar doentes positivos que não necessitariam de internamento, mas que pelas suas condições sociais, ou por não terem quem cuide deles ou por necessitarem de se isolar das famílias, poderão ser colocados neste espaço onde terão vigilância médica diária”, afirmou Filomena Rodrigues.
Já o Pavilhão da Mata, pela proximidade ao hospital, poderá receber “doentes com quadros mais complicados”, quando esgotada a capacidade hospitalar, obrigando, nesse caso, a “ter duas equipas a funcionar em simultâneo”, explicou a directora clínica.
A presidente do Conselho de Administração do CHO, Elsa Baião, afirmou na segunda-feira que a instituição está a tentar recrutar “24 médicos, 30 enfermeiros e 30 auxiliares”, para assegurarem o funcionamento dos dois hospitais de campanha, caso se esgote a capacidade instalada na unidade das Caldas da Rainha.
Os dois hospitais resultam de um investimento superior a 20 mil euros por parte da autarquia e contam, segundo o presidente, Fernando Tinta Ferreira, com a parceria da Escola de Sargentos do Exército (ESE), que cedeu as camas, e de um hotel, que cedeu lençóis e cobertores.
No caso do CAR, o espaço conta com “balneários e uma cozinha onde serão confeccionadas as refeições para os dois hospitais”, afirmou o autarca, que irá ainda investir cerca de cinco mil euros na aquisição de garrafas de oxigénio para os dois hospitais de campanha.
“A nossa expectativa é que estes hospitais não precisem de ser utilizados”, afirmou Elsa Baião, sublinhando que tal dependerá “do evoluir da situação” nos hospitais do CHO, onde desde a última quinta-feira se registou um aumento de casos suspeitos, mas apenas um doente positivo foi sujeito a internamento na unidade das Caldas.
Elsa Baião sublinhou que os hospitais das Caldas da Rainha e de Torres Vedras “foram restruturados para terem uma área covid e outra não covid, quer no serviço de urgências, quer no internamento”, e que em cada uma das áreas trabalham equipas diferentes.

Diários Associados