Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Planalto Beirão cumpre compromisso de 2022 com objectivos ambiciosos no horizonte


sexta, 05 junho 2020

Metas 

Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão antecipou para 2019 o cumprimento do seu compromisso nacional com a separação de resíduos recicláveis


Hoje, 5 de Junho, data em que se assinala o Dia Mundial do Ambiente, é um bom momento para reflectir acerca dos gestos e atitudes que diariamente tomamos, com influência directa no ambiente e na comunidade em que nos inserimos.
A sociedade actual tem vindo a produzir Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) em quantidades muito elevadas, resultantes de um aumento do consumo, e da forma descartável com que encaramos muitos dos objectos com que lidamos no nosso dia-a-dia. A maior parte dos resíduos que produzimos, são embalagens de vidro, papel, metal ou plástico.
Materiais que se separados na origem, podem ser aproveitados para a produção de novos produtos através de processos de valorização por reciclagem. Não devemos, por isso, considerar estes resíduos como “lixo”, uma vez que a sua correta deposição no ecoponto permite a sua valorização e favorece a sustentabilidade dos recursos através de um processo de economia tendencialmente circular.
Na qualidade de entidade gestora de RSU em 19 municípios da região Centro, a Associação de Municípios do Planalto Beirão (AMRPB) gere o Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos através de um Sistema de Gestão de Resíduos Urbanos (SGRU).
O SGRU da AMRPB tratou, no âmbito das suas valências, em 2019, um total de 132.639 toneladas de RSU, dos quais 115.633 toneladas tiveram origem em recolha indiferenciada.
Apurados os valores finais de 2019, relativos à produção de resíduos na região e respectivos destinos finais, verificou-se que a quantidade de resíduos recolhidos selectivamente cresceu significativamente face a 2018.
Durante o ano transacto, foram recolhidas selectivamente 10.580 toneladas de resíduos, ou seja, mais 2.000 toneladas que em 2018, o que representa um significativo crescimento anual de 24%. Destaca-se que, este aumento das quantidades de resíduos encaminhados para reciclagem foi acompanhado por uma descida das quantidades de resíduos recolhidos de forma indiferenciada, evidenciando, desta forma, a crescente adesão da população à separação de recicláveis na fonte e à deposição selectiva.
Meta foi atingida em 2019
O ano de 2019 destaca-se ainda pelo desempenho na meta da retoma para reciclagem com origem em recolha selectiva de ecopontos.
Contas feitas, pode-se afirmar que, em média, cada habitante da região do Planalto Beirão separou 30 Kg de resíduos recicláveis, no ano passado. Este valor faz com que a meta intercalar de 27 Kg/hab/ano, definida no PERSU 2020 + para 2019, não só tenha sido atingida como ultrapassada, superando mesmo o valor definido para 2020 de 29 kg/hab.
Segundo José Portela, secretário executivo da AMRPB “estes resultados são demonstrativos de todo o esforço e investimento realizados pela AMRPB nos últimos anos, bem como, pelos municípios que a integram, e evidenciam o sucesso alcançado ao nível da mudança de hábitos e práticas da população que tem vindo, conforme pretendido, cada vez mais a optar pela separação e deposição selectiva, em detrimento da deposição indiferenciada, contribuindo, desta forma, para um futuro cada vez mais sustentável”.


Associação de Municípios “quer alcançar gestão dos resíduos urbanos ao nível europeu”

Ambição Fundada em 1991, a AMRPB nasce da iniciativa dos municípios da região com vista ao encontro de soluções inovadoras e sustentáveis para gerir os resíduos urbanos nas suas áreas de intervenção. Em 1999 foi inaugurado o Centro de Tratamento de RSU do Planalto Beirão, localizado em Barreiro de Besteiros - Tondela. A partir de 2012 este Centro passa a integrar uma nova unidade de tratamento mecânico e biológico que permite processar os resíduos provenientes da recolha indiferenciada e encaminhar para valorização resíduos orgânicos e alguns resíduos de embalagens.
No Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos do Planalto Beirão, em Tondela, é onde se desenrola todo o processo de transformação de resíduos.
Esta unidade de tratamento de resíduos urbanos foi fortemente afectada pelos incêndios de Outubro de 2017, mas conseguiu de imediato criar soluções para dar resposta às necessidades da comunidade, que serve cerca de 350.000 habitantes. As unidades afectadas estão já quase totalmente recuperadas e inclusive modernizadas e optimizadas em função dos próximos anos.
No vasto caminho já trilhado no domínio da gestão de resíduos, encontram-se no horizonte da AMRPB o contínuo investimento em sistemas de recolha selectiva para valorização de resíduos de embalagens, a moderna produção de combustíveis derivados de resíduos articulada com a valorização energética descentralizada, a implementação até 2023 de recolha de bioresíduos em produtores não domésticos e o desenvolvimento de um vasto plano de sensibilização ambiental ao nível regional, a iniciar já em 2020.

Leia a notícia completa na edição em papel.

Diários Associados